Fria Nostalgia

Sou uma bagunça. Uma bagunça que ninguém arruma, uma bagunça que ninguém esta disposto a arrumar. Sou algo extremamente confuso, algo que se machuca facilmente. Sou um poço de incertezas, inseguranças que, raramente alguém vai além das reticências que me acompanham. Sou algo difícil de lidar, mas que sede sem muito esforço. Sou o que ninguém quer ir além da primeira vírgula. Sou algo que ninguém consegue terminar.
- A. Jardim.
Fria Nostalgia